Parque Morro da Manteiga – Camaçari – BA

O centro ecumênico foi concebido como uma estrutura leve pousada sobre a extremidade do cume sudoeste do parque. uma grande viga de perfil circular coroa a topografia sem tocar o solo e recebe os arcos que cobrem o salão de cerimônias. A laje de piso se apoia em cordoalhas tensionadas e parece flutuar alguns centímetros acima do solo. Uma praça de chegada distribui o fluxo - é possível percorrer um caminho periférico que leva para a proa da estrutura sem perturbar as atividades ecumênicas sobre o tapete central.

O centro ecumênico foi concebido como uma estrutura leve pousada sobre a extremidade do cume sudoeste do parque. uma grande viga de perfil circular coroa a topografia sem tocar o solo e recebe os arcos que cobrem o salão de cerimônias. A laje de piso se
apoia em cordoalhas tensionadas e parece flutuar alguns centímetros acima do solo. Uma praça de chegada distribui o fluxo – é possível percorrer um caminho periférico que leva para a proa da estrutura sem perturbar as atividades ecumênicas sobre o tapete central.

MANTEIGA_ECUMENICO_tapete_R00_

MANTEIGA_ECUMENICO_PASSEIOLATERAL_R00_

MANTEIGA_ECUMENICO_INFERIOR_R00_

O edifício-sede se conecta com todo o Parque. O mirante vertical possibilita a visualização de todo o sistema ambiental da área e a infraestrutura do Parque.

O edifício-sede se conecta com todo o Parque. O mirante vertical possibilita a visualização de todo o sistema ambiental da área e a infraestrutura do Parque.

Rampas e desníveis possibilitam visuais inusitadas e servem para conectar a cobertura do edifício, que atua como praça cívica, às rotas do Parque.

Rampas e desníveis possibilitam visuais inusitadas e servem para conectar a cobertura do edifício, que atua como praça cívica, às rotas do Parque.

O edifício-sede abrange o programa educacional, administração e restaurante. O anfiteatro ecumênico ao fundo se abre para a cidade.

O edifício-sede abrange o programa educacional, administração e restaurante. O anfiteatro ecumênico ao fundo se abre para a cidade.

Assim como toda a arquitetura do parque, os viveiros foram concebidos como estruturas leves e modulares. Sua implantação permite fácil expansão e adaptação para novas necessidades. Os viveiros são acessíveis a todos os cidadãos e cumprem também papel educativo.

Assim como toda a arquitetura do parque, os viveiros foram concebidos como estruturas leves e modulares. Sua implantação permite fácil expansão e adaptação para novas necessidades. Os viveiros são acessíveis a todos os cidadãos e cumprem também papel educativo.

MANTEIGA_VIVEIROS_B_R00

O plano inclui uma pequena praça-mirante com vista para o centro da Camaçari e para o pôr do sol no cume noroeste do Parque.

O plano inclui uma pequena praça-mirante com vista para o centro da Camaçari e para o pôr do sol no cume noroeste do Parque.

Implantação

Implantação

A seção revela a abordagem de baixo impacto do projeto, tanto ambiental como paisagística. Não há movimentação de terra significativa prevista e a arquitetura se insere como edificações leves que não só se adaptam à topografia, como a homenageiam em uma imbricada relação mútua.

A seção revela a abordagem de baixo impacto do projeto, tanto ambiental como paisagística. Não há movimentação de terra significativa prevista e a arquitetura se insere como edificações leves que não só se adaptam à topografia, como a homenageiam em uma imbricada relação mútua.

Planta Baixa

Planta Baixa

Planta de Cobertura

Planta de Cobertura

Sistema de Infraestrutura

Perfis Viários

 

Mapa Ambiental

As diretrizes de intervenção da proposta se baseiam na análise ambiental do local e visam interferência mínima no terreno buscando a preservação dos elementos naturais existentes e prevenção contra desmoronamentos e erosões – problema identificado nos estudos prévios. Assim, a proposta parte do zoneamento de percursos existentes e áreas de topografia mais estável para o posicionamento dos equipamentos fixos.

Como programa, são sugeridas as seguintes edificações para possibilitar a ativação social do Parque, de modo a torná-lo atrativo para os habitantes de Camaçari e da região: mirantes, zona esportiva e de recreação, centro ecumênico, viveiro de mudas nativas e edifício-sede recebendo programa administrativo e educacional.

Um mirante horizontal, em forma de arquibancada, é posicionado no lado oeste do Parque, possibilitando descanso e a visual da área central de Camaçari. Um mirante vertical, associado à edificação principal, possibilita uma visualização do Parque de forma total, permitindo observar todos os sistemas ambientais do entorno, infraestrutura e ocupações do Parque. Um centro ecumênico, na crista do Morro, no lado Sul do Morro, recebe os moradores de Camaçari para celebrarem suas diversas fés e religiões. O viveiro fica próximo ao acesso principal para facilitar a logística e aproveitar a melhor orientação solar e é destinado a produção de mudas nativas para o reflorestamento do próprio parque, do Anel Florestal e eventualmente do município de Camaçari.

É mantida a via de acesso pela Av. Ver. Dilson Magalhães e são adicionados mais cinco acessos para garantir maior permeabilidade. Os caminhos são projetados visando interferir o mínimo possível na topografia sensível do Morro, eles seguem as curvas de nível e promovem uma ascensão suave dos acessos até as cotas mais elevadas e junto a eles foram projetadas valas de drenagem para facilitar o escoamento da água da chuva. A atual pista informal de mountain bike é assumida como circuito consolidado e são projetadas alterações mínimas no traçado do curso visando evitar a interferência nos equipamentos propostos.

/The intervention guidelines of the proposal are based on the environmental analysis of the site and aim at minimal interference on the soil, seeking the preservation of existing natural elements and prevention against landslides and erosion – a problem identified in previous studies. Thus, the proposal starts from the zoning of existing routes and areas of more stable topography for the positioning of the permanent equipment.

As a architectural program, the following buildings are suggested to allow the social activation of the Park, so as to make it attractive for the inhabitants of the city of Camaçari and the region: observatory, sports and recreational area, ecumenical center, native plants nursery and a central building receiving administrative and educational program.

A vertical observatory, associated to the main building, gives a total view of the park, allowing to observe all the environmental systems of the surroundings, infrastructure and occupations of the Park. An ecumenical center, on the crest of Morro da Manteiga, on the south side, welcomes the residents of Camaçari to celebrate their diverse faiths and religions. The native plants nursery is near the main access to facilitate logistics and take advantage of the ideal solar orientation and is destined to produce native seedlings for the reforestation of the park itself, the Forest Ring and eventually the district of Camaçari.

The main access road is maintained through Dilson Magalhães Avenue and five more accesses are added to ensure greater permeability. The paths are designed to interfere as little as possible in the sensitive topography of the slope. They follow the contour lines and promote a gentle ascent from the accesses to the highest levels and are associated with drainage ditches designed to facilitate the drain of rainwater. The current informal mountain bike track is assumed as a consolidated circuit and minimal changes are planned in the course design in order to avoid interference in the proposed equipment.

Concurso

Time: Gabriel Johansson Azeredo, Pedro Leggerini, Gabriel Waquil, Ruti Luíza Conrad, Bruno Dupon e Natália Pires